uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Mensalidades na nova creche de Manique do Intendente geram controvérsia política
Creche foi apresentada aos encarregados de educação a 31 de Agosto e já se encontra em funcionamento com 16 alunos inscritos

Mensalidades na nova creche de Manique do Intendente geram controvérsia política

Equipamento municipal abriu portas para servir quatro freguesias. PSD queria creche gratuita para famílias residentes na União de Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de São Pedro e Maçussa. Maioria PS na Câmara de Azambuja diz que isso criaria desigualdades entre munícipes e chumba “ideia infeliz”.

Edição de 11.09.2019 | Sociedade

A proposta dos vereadores do PSD na Câmara de Azambuja para isentar os encarregados de educação com residência na União de Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de São Pedro e Maçussa do pagamento de mensalidade na nova creche de Manique do Intendente, gerou polémica na última reunião de câmara tendo sido chumbada pela maioria socialista.
Os vereadores do PSD Rui Corça e Maria João Canilho sublinham que apesar de “a criação de uma creche ser uma medida de combate à desertificação, importa implementar medidas reais de descriminação positiva”, como o acesso gratuito ao serviço. A proposta surgiu durante o período de discussão dos valores mensais a fixar para a creche.
O presidente da câmara, Luís de Sousa (PS), considerou a proposta do PSD como promotora da desigualdade entre munícipes, sublinhando que aquela creche também vai receber crianças da freguesia vizinha de Alcoentre. “Foi uma ideia infeliz. Não podemos ter munícipes de primeira e munícipes de segunda”, acrescentou a
O MIRANTE.
A proposta também não encontrou apoio no vereador da CDU, que optou pela abstenção. David Mendes considera-a “pouco reflectida”, lembrando que não existem apenas problemas de desertificação no alto concelho, dando como exemplo a freguesia de Aveiras de Baixo. E defendeu que o município deveria apostar, no futuro, na criação de uma rede gratuita de creches públicas em todo o concelho.
Sílvia Vítor (PS), vereadora com o pelouro da Educação na Câmara de Azambuja, também considerou a medida injusta para os munícipes de Alcoentre que ali vão inscrever os seus filhos e acabou por sugerir que no próximo ano, o executivo municipal estude em profundidade a possibilidade de todas as creches do concelho, incluindo as IPSS, serem gratuitas. Para já, as mensalidades estão a ser calculadas mediante o rendimento per capita de cada agregado familiar e fixam-se entre os 35 e os 250 euros.

Dezasseis crianças inscritas
A primeira creche municipal do concelho tem capacidade para receber 26 crianças, representa um investimento de 84 mil euros, inteiramente suportado pela Câmara de Azambuja e está instalada num edifício municipal onde já funciona o ensino público para o pré-escolar. Tem ao serviço, desde 2 de setembro, uma educadora de infância e três auxiliares a cuidar de um total de 16 inscritos.

Isenção de taxa de inscrição aprovada

A Câmara de Azambuja, entidade responsável pela gestão da nova creche de Manique do Intendente, ia cobrar uma taxa de inscrição de 20 euros, por cada criança, no ano lectivo 2019/2020. Medida que acabou por não ir avante, depois de na mesma reunião David Mendes (CDU)propor a isenção dessa taxa para todos os inscritos, o que acabaria aprovada pelo executivo.

Mensalidades na nova creche de Manique do Intendente geram controvérsia política

Mais Notícias

    A carregar...