uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Acusado de matar vizinho por causa de jogo de futebol começa a ser julgado
Vizinhos desentenderam-se durante um jogo do Benfica-Porto em Marinhais

Acusado de matar vizinho por causa de jogo de futebol começa a ser julgado

Há quase um ano António Vitorino Neves matou o vizinho João Calado à porta de um café em Marinhais, depois de se terem desentendido por causa de um jogo que estavam a ver na televisão do estabelecimento. Arguido é tido pela justiça como agressivo.

Edição de 02.10.2019 | Sociedade

O acusado de matar o vizinho à porta de um café em Marinhais, Salvaterra de Magos, por causa de um jogo de futebol, já começou a ser julgado no Tribunal de Santarém pelo crime de homicídio simples. António Vitorino Neves, que está preso preventivamente na cadeia do Montijo, incorre numa pena que vai de oito a dezasseis anos de prisão. O tribunal mantém o suspeito na prisão por considerar que este tem uma personalidade violenta e um espírito agressivo, tendo sido condenado anteriormente por ofensas à integridade física.
O Ministério Público sustenta em julgamento que o arguido, de 54 anos, desferiu uma facada em João Calado no dia 7 de Outubro do ano passado, cerca das 19h15, depois de uma discussão quando estavam a ver o jogo Benfica-Porto na televisão do café “Toinito”. A investigação refere que os dois foram para a rua e que nessa altura o suspeito espetou uma navalha com oito centímetros de lâmina na zona do tórax da vítima. João Calado ainda conseguiu dar uns passos até à porta do café antes de cair cair. Quando estava prostrado no chão o agressor ainda lhe desferiu dois pontapés na cabeça.
A acusação refere que a vítima morreu cerca de uma hora após a agressão. Na justificação para manter a medida de coacção de prisão preventiva, refere-se que há o perigo de continuidade da actividade criminosa e perturbação da tranquilidade pública. Considera-se ainda que o arguido não interiorizou a gravidade dos factos e que psicologicamente pode repetir situações de agressões quando for contrariado em situações banais do dia-a-dia.
Recorde-se que depois de agredir o vizinho António Vitorino Neves foi para casa, a cerca de cem metros do café e perto da habitação da vítima, onde a GNR o foi deter.

Acusado de matar vizinho por causa de jogo de futebol começa a ser julgado

Mais Notícias

    A carregar...