uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Morreu Martins Leitão o advogado de Santarém que não gostava de gravatas
Martins Leitão foi um dos causídicos distinguidos com a Medalha de Honra da Ordem dos Advogados em Maio último

Morreu Martins Leitão o advogado de Santarém que não gostava de gravatas

Advogado fez carreira profissional na cidade capital de distrito, onde era muito conhecido e respeitado. Contava 80 anos.

Edição de 01.01.2020 | Sociedade


O advogado José Martins Leitão faleceu no dia 18 de Dezembro, em Santarém, onde residia, vítima de problemas cardíacos. Contava 80 anos. Figura muito conhecida e respeitada na cidade, esteve ligado ao movimento associativo e à intervenção cívica, tendo sido também autarca na Assembleia Municipal de Santarém, como independente eleito nas listas da CDU.
O funeral realizou-se no dia 18 de Dezembro em Assentiz, Rio Maior, de onde era natural. Era casado e pai dos advogados Cássio e João Leitão. Em Maio último, José António Martins Leitão foi um dos causídicos distinguidos com a Medalha de Honra da Ordem dos Advogados, durante a sessão solene das comemorações nacionais do Dia do Advogado, que decorreu a 19 de Maio, no Convento de São Francisco, em Santarém. O galardão foi entregue pelo bastonário da Ordem dos Advogados, Guilherme Figueiredo.
Em Março de 2011 concedeu uma grande entrevista a O MIRANTE, que pode ser encontrada no arquivo do nosso site na Internet. Martins Leitão era uma pessoa avessa a formalismos e convenções. Um advogado que se poderia catalogar como politicamente incorrecto e que tinha aversão a gravatas – “quando é mesmo preciso tenho lá uma em casa, mas duas já não juro que tenha”, contou-nos.
A voz grave e o dom da palavra eram outras características que o distinguiam. Sempre foi um homem de esquerda, com apurado sentido de justiça. Foi militante do MDP/CDE antes e depois do 25 de Abril. Saiu do partido em “ruptura” quando ouviu o líder, José Manuel Tengarrinha, questionar a coligação eleitoral com o PCP. A partir daí, manteve sempre o estatuto de independente.

Morreu Martins Leitão o advogado de Santarém que não gostava de gravatas

Mais Notícias

    A carregar...