Sociedade | 11-05-2019 07:00

EN114 é tema de discórdia política em Santarém

EN114 é tema de discórdia política em Santarém

Moção do PSD aprovada na assembleia municipal repudia a demora na reabertura da estrada entre a cidade e a ponte D. Luís e atribui responsabilidades à empresa pública Infraestruturas de Portugal.

A demora na reabertura do troço da EN114 em Santarém, fechado desde Agosto de 2014 devido a um deslizamento de terras, tornou-se numa arma de arremesso político entre a maioria PSD que gere o município e a oposição. Na última semana, a guerrilha política aumentou de tom, com o PSD a propor e a fazer aprovar na assembleia municipal uma moção em que aponta responsabilidades pelo arrastar do processo à empresa pública Infraestruturas de Portugal (IP) - que tutela essa estrada nacional - e manifesta o seu “total repúdio” pela não reabertura desse troço que liga Santarém à Ribeira de Santarém.

A moção solicita ainda ao Governo e à IP que reabram a via em condições de segurança, sublinhando que as obras de consolidação da encosta sobranceira à estrada, na zona onde se registou o deslizamento de terras em Agosto de 2014, estão concluídas desde final de Agosto de 2018.

A bancada do PS na Assembleia Municipal de Santarém votou contra a moção proposta pelo PSD, apontando responsabilidades à Câmara de Santarém e tentando colar os sucessivos deslizamentos dos prazos na empreitada global de estabilização da encosta de Santa Margarida (uma obra lançada pela câmara) à não reabertura da EN114.

Uma associação que o presidente da câmara, Ricardo Gonçalves (PSD), refutou com veemência na última reunião do executivo, dizendo que uma coisa nada tem a ver com a outra e que a reabertura da EN114 está presa pela colocação, por parte da IP, de inclínómetros nas barreiras - uma espécie de sensores que vão monitorizar a estabilidade das barreiras e atestar a segurança na via.

“No dia em que se sabe, e o sr. presidente da CMS confirma, que as Infraestruturas de Portugal estão no terreno para instalar os tão afamados inclinómetros, o PSD apresenta uma moção com o único intuito de sacudir a água do capote, enjeitando as responsabilidades que cabem ao executivo municipal. Assim, uma moção com os pressupostos apresentados, só poderia merecer o voto contrário dos eleitos do PS na Assembleia Municipal”, argumentou a bancada socialista na Assembleia Municipal de Santarém.

O PS diz que, tal como todos os escalabitanos, vai continuar a pugnar e a exigir a reabertura da EN114 em condições de segurança e a conclusão das obras nas barreiras, “pelo que a Câmara de Santarém e as Infraestruturas de Portugal tudo devem fazer no sentido de que tal ocorra com a maior brevidade possível”. E manifesta o seu espanto por ver o prazo previsto para conclusão das obras na encosta de Santa Margarida, responsabilidade da Câmara de Santarém, deslizar agora para Janeiro de 2021 devido a uma série de contrariedades (ver última edição semanal de O MIRANTE).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1407
    13-06-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1407
    13-06-2019
    Capa Médio Tejo