Três Dimensões | 26-03-2024 10:00

“Centro histórico de Santarém precisa que o visitemos e façamos compras”

“Centro histórico de Santarém precisa que o visitemos e façamos compras”
TRÊS DIMENSÕES
Filipa Bicho abriu a óptica Eyes For You em 2022 em Santarém e foi a concretização de um sonho

Filipa Bicho nasceu na Covilhã. Tirou o curso de Optometria na Universidade da Beira Interior e começou a trabalhar em Tomar.

Posteriormente fixou-se em Santarém onde, em 2022, abriu a sua empresa, a óptica Eyes For You. O seu sonho era conhecer o Hawai quando fizesse 40 anos mas a vida trocou-lhe as voltas e nessa altura estava internada na cama de um hospital com um descolamento da placenta na gravidez do terceiro filho. O momento mais marcante e difícil da sua vida foi acompanhar o final de vida da sua mãe, quando estava grávida do seu primeiro filho. É uma mulher positiva e empreendedora que não gosta de estar parada.

As minhas memórias de infância são a brincar. Nasci e cresci na Covilhã, na Serra da Estrela, e as lembranças que tenho desse tempo é de brincar com o meu irmão, amigos e vizinhos; com neve no Inverno, algo que é cada vez menos frequente, infelizmente, e no Verão na rua até as nossas mães chamarem para o jantar. Foram tempos muito bons em que fui muito feliz. Volto à Covilhã sempre que posso sobretudo para visitar o meu pai e restante família.
Sempre tive o sonho de ter a minha própria empresa. Tirei o curso de Física Aplicada, vertente de Optometria, na Universidade da Beira Interior. Quando terminei a licenciatura o director do meu curso perguntou-me se não queria ir trabalhar para uma óptica em Tomar. Estavam a precisar de um recém-licenciado e ele lembrou-se de mim. Não tive qualquer problema em mudar de cidade. Trabalhei na Óptica Alípios, com o senhor Alípio e a dona Madalena, durante seis anos e foi uma grande aprendizagem.
Fixei-me em Santarém quando vim trabalhar numa multinacional na mesma área. Sempre tive espírito empreendedor, gosto muito de aprender e fazer as coisas bem feitas. Na multinacional tive outro tipo de aprendizagem, que também foi muito importante para o meu crescimento profissional. Quando nasceu o meu terceiro filho senti que já não estava a dar o meu melhor contributo à empresa e por isso decidi sair.
Estive cerca de seis meses internada no hospital durante a pandemia. Tive um descolamento total da placenta às 13 semanas de gravidez e não me podia mexer. Tenho dois filhos mais velhos, que na altura tinham quatro e dois anos, e não me podiam visitar porque estávamos em pandemia. Foram meses muito duros. O meu marido foi extraordinário em acompanhar os nossos filhos mais velhos. Estamos juntos desde os 17 anos e somos companheiros de vida, que nos apoiamos mutuamente. Esse é um dos principais motivos para um relacionamento funcionar, assim como o respeito pelo outro.
A minha mãe faleceu quando o meu filho mais velho tinha três meses de vida. Foi o momento mais difícil da minha vida, mas também o mais marcante. A minha mãe faleceu com cancro do pulmão e já sabíamos qual seria o desfecho. Foi muito complicado assistir aos meses finais de vida da minha e estar grávida. Foi muito duro mas são estas situações que nos tornam mais fortes. Vejo nos meus filhos o legado da minha mãe e temos que aceitar a ordem natural da vida. Sinto-me uma sortuda por ter tido pais durante tantos anos (ainda tenho o meu pai) e muito grata por ter tido uma mãe que foi sempre tão boa para mim. Ela viverá sempre comigo. Fico muito feliz quando me dizem que vêem a minha mãe em mim porque éramos muito parecidas.
Fui muito bem acolhida e gosto muito de Santarém. Para quem tem necessidade de mobilidade por todo o país Santarém é uma cidade perfeita porque está perto das grandes cidades. Não falta nada a Santarém. Tem tudo, se quisermos, só depende de nós e do nosso empenho do que queremos fazer pela cidade. Falta habitação e melhorar o centro histórico, mas em relação a este último é fundamental que também o visitemos e façamos compras lá, de modo a dar-lhe mais vida. As pessoas são muito simpáticas. Só há motivos para gostar de Santarém.
A inauguração da Eyes For You foi a concretização de um sonho. Depois de ter o meu terceiro filho a vida mudou muito e deixei a multinacional. Foi aí que nasceu a ideia de criar a minha própria óptica. Com 20 anos de experiência sabia muito bem o que pretendia fazer e tem sido um projecto muito coeso, com muita dedicação e um desafio diário mas que tem dado certo.
Glaucoma é uma das principais causas de cegueira a nível mundial. Isto acontece porque é uma doença assintomática numa fase inicial. Uma pessoa que tenha uma tensão ocular de 40 vê tão bem como se tivesse uma tensão de 10 e nem percebe que o seu nervo óptico está a ser pressionado e, provavelmente, vai ter lesões que são irreversíveis. Quando nota que já não está a ver bem já não há nada a fazer. Por isso é tão importante fazer exames aos olhos. A óptica não serve só para comprar óculos nem lentes de contacto. Estamos a conseguir consciencializar a população para a importância de rastreios e cuidarem da sua saúde ocular.
Não suporto que me mintam. Não vale a pena mentir. É tudo tão mais fácil quando dizemos a verdade, por mais difícil que seja. Depois da mentira torna-se difícil voltar a confiar, é das coisas piores de suportar. É mais fácil falar sobre o problema e resolvê-lo do que arrastar uma mentira. Tinha programado que quando fizesse 40 anos iria passar o aniversário no Hawai, a minha viagem de sonho. Só que nessa altura estávamos em pandemia e eu estava internada no hospital, mas ainda quero realizar esse sonho. A viagem mais marcante foi a minha lua-de-mel em Nova Iorque, Miami e um cruzeiro de 15 dias nas Caraíbas. Foi inesquecível.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo