uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Alunas do 7º ano, turma A, representam "O Chá das Tias"

A noite dos “crânios”

Escola Secundária do Entroncamento distingue os melhores alunos

Não teve o brilho nem o glamour das festas de entrega dos óscares ou dos grammies, mas foi divertida e participada como qualquer delas. Na Sexta-feira à noite, num ambiente de informalidade e alegria a rodos, decorreu a entrega dos prémios do Quadro Valor e Excelência da Escola Secundária do Entroncamento, uma forma de distinguir o esforço e dedicação num país em que a regra é o desprezo pelas elites e a recompensa da mediocridade.

Edição de 18.12.2002 | Sociedade
As “tias” do sétimo A fecharam as conversas mundanas de pastelaria fina com uma animada coreografia de um sucesso da reboluda Shakira. As últimas filas ergueram-se ao ritmo da música e a onda foi alastrando até encontrar a barreira dos “cotas” pais, que assistiam à festa atordoados por tamanha balbúrdia. Foi na Sexta-feira à noite, no cine-teatro S. João, no decorrer da cerimónia, muito pouco cerimoniosa, de entrega dos Prémios dos Quadros de Valor e Excelência da Escola Secundária do Entroncamento.O espaço estava a rebentar pelas costuras. Muita gente de pé. O burburinho fazia lembrar uma sala de aulas gigante. A escola tem pouco mais de mil alunos diurnos e se não estavam lá todos, poucos faltaram. O que faltou foi o toque da campainha para a entrada mas às nove e um quarto, presumimos que depois do segundo toque, o professor Henrique Leal, nas funções de apresentador, deu as boas-noites da praxe e apresentou o primeiro número da récita. Acordes de guitarras e lá foi o grupo “Cantar na Escola”, constituído por professores e funcionários, pelos trilhos sonoros do Natal dos Simples e de outras cantigas alusivas à quadra. No fundo do palco a letras garrafais vermelhas com barbas brancas: “Feliz Natal. Boas Festas”.Uma festa escolar, para ser uma verdadeira festa escolar, tem que ser informal, desordenada, improvisada, animada, desafinada. Qualquer coisa a roçar o caos. Um desafio a todas a todas as leis da física, da química e da produção de espectáculos. A Festa de Entrega de Prémios da Escola Secundária do Entroncamento foi aquilo tudo e ainda mais. Foi viçosa e tonitruante. Imarcescível. Exemplar. Na primeira fila o presidente do conselho executivo, Fernando Pires, o presidente da câmara, Jaime Ramos, o vereador da educação, João Fanha e o Presidente da Junta de Freguesia, Ezequiel Estrada, aguentaram a pé firme do princípio ao fim. Os prémios do quadro de valor, destinados a distinguir alunos que se tenham destacado em actividades em prol da comunidade, foram os primeiros a ser entregues. No palco estiveram campeões nacionais de natação e danças de salão, bombeiros, voluntários de acção social. As luzes da sala tinham sido desligadas para serem projectadas as fichas com os nomes e fotos dos distinguidos. O apresentador Henrique Leal e a sua colega de função, a psicóloga Joana Romão viram-se gregos para ler as cábulas das deixas. Os espectadores só conseguiam ver os pés dos premiados porque o foco de luz estava apontado para o soalho. A original apresentação foi presenteada com uma das maiores salvas de palmas da noite, mesmo depois do apelo desesperado do professor/apresentador: “dêem-nos alguma luz que não se vê nada aqui em cima”.Qualquer candidato a professor deveria passar por uma prova de fogo assim: organizar uma festa de escola como a de Sexta-feira. Se ao fim das semanas de ensaios ainda tivesse nos lábios o sorriso que tinha o professor da área curricular de teatro que orientava as entradas dos artistas nos bastidores, estava apto para a função.Ao longo da noite houve espaço para teatro, dança, canções. E até houve uma réplica escolar dos malucos do riso. A “dramatização de anedotas”, como vinha no programa, foi um sucesso, apesar de alguns dramas com o som. Quando havia coreografias de músicas conhecidas, os espectadores deliravam. O momento mais profissional foi o das danças de salão. Dois pares com muitos títulos nacionais no currículo fizeram a ponte entre a saudável inocência dos amadores e o rigor que o palco da vida exige dos que querem triunfar.E foi para premiar a dedicação e o esforço dos que querem ir mais longe, que foram criados o prémios do Quadro de Excelência. Alunos que ao longo de cada ano lectivo se distinguem pelo seu excepcional aproveitamento escolar. Exemplos para toda a comunidade. Os “crânios” receberam os prémios debaixo de aplausos. Muitos aplausos. Alguns, como Pedro Miguel Mendes Bastos, que pela segundo ano consecutivo obteve a média mais elevada (19,33) da escola, tiveram mesmo direito a claque. Por volta da meia-noite, com o grupo “Cantar na Escola” de novo em palco, encerrou a cerimónia. A competição é saudávelA Escola Secundária do Entroncamento decidiu, há quatro anos, aceitar a sugestão do Ministério da Educação e criar os prémios do Quadro de Valor e Excelência. “Uma forma de motivar os alunos que os recebem a fazer mais e melhor e os outros a seguirem o seu exemplo”, no dizer do presidente do conselho executivo, Fernando Pires.O professor diz não ser adepto da competição desenfreada mas defende o reconhecimento da dedicação e do esforço como elemento de preparação para a vida. “A competição entre alunos é saudável se for enquadrada dentro de alguns parâmetros. Não pode ser a competição pela competição. Sempre houve bons e maus alunos e é justo que se destaquem os melhores. Se isso acontece em todos os sectores de actividade, porque não na escola?”. Aos que possam ver na atribuição dos prémios uma forma de segregação ou de promoção de elites, explica que os bons alunos da Secundária do Entroncamento não são apenas os filhos de famílias mais abastadas e que as elites ao nível do saber e da dedicação à causa pública são fundamentais para o desenvolvimento de qualquer sociedade. “Não se trata de segregação mas de recompensar um esforço desenvolvido ao longo de um ano”. Quanto ao facto da nota de educação física contar para a atribuição dos prémios Excelência, considera que ela funciona como elemento de equilíbrio. “A disciplina de educação física é entendida, por alguns, como uma forma de baixar as médias, mas a meu ver é uma forma de equilibrar. A educação física é essencial no sistema de ensino e se a nota entra para as médias do ano e não entra para a média de acesso ao ensino superior isso acontece porque nem todas as escolas têm as mesmas condições para a prática do desporto”. O Quadro de Valor, com os níveis ouro, prata e bronze, distingue alunos “que se evidenciem em acções de carácter social ou comunitário que dignifiquem o indivíduo ou a Escola”. No Quadro de Excelência figuram, no final de cada ano lectivo, os alunos que apresentem excelentes resultados escolares. Para os estudantes do terceiro ciclo as médias exigidas para os níveis ouro, prata e bronze do Quadro de Excelência , são: 5 em todas as disciplinas; 4 numa disciplina e 5 nas restantes; 4 em duas disciplinas e 5 nas restantes ou 3 numa disciplina e 5 nas restantes. Para os do secundário as médias exigidas são, respectivamente: Igual ou mais alta que 18,2; mais alta que 18 e mais baixa que 18,2; mais alta que 17,8 e mais baixa que 18.Alunos de ouro no ano lectivo 2001/2002Quadro de ValorAndré Jorge Vieira Campeão Nacional de Natação nos 100 e nos 200 metros livres (Agrupamento 1-grupo2). Vice-campeão nos 100 metros mariposa (Agrupamento 1-grupo2).Integração no percurso de alta competição.João Tiago FernandesTricampeão Nacional e Vencedor da Taça de Portugal, três anos consecutivos, nas Danças de Salão, na categoria de Juniores. Seleccionado para representar Portugal no Campeonato do Mundo, a realizar em 2004 em Blackpool (Inglaterra).Patrícia Filipa Barateiro e Valter Alexandre MineiroCampeões Nacionais e Vencedores da Taça de Portugal nas Danças de Salão, na categoria de Juniores 2 (iniciados). Campeões Regionais.João Carlos ValenteRepresentante no Hemiciclo Nacional tendo obtido o 2.º lugar para a escola no Jogo do Hemiciclo.Quadro de Excelência 7º AnoAna Carolina D. de O. Rodrigues Cristiana Sofia Vieira FerreiraDiana Alexandra Couto MestrePedro José Reis Mota8º Ano Tiago Miguel da Encarnação Mourato9º AnoAna Filipa Nunes da LuzCarolina Isabel RodriguesJulieta Maria Peixoto CarmonaRicardo Bento Pereira10º AnoJoão Carlos Pereira Valente 19,22Pedro Gonçalo Ferreira Sousa 19,22Carlos Eduardo Bastos Dias 18,67Pedro Emanuel Gonçalves 18,3311º AnoPedro Miguel Mendes Bastos 19,33Marina Marcelino Domingues 18,78João Miguel Marques Damas 18,67Susana Filipa Bernardo Machado 18,67Ana Filipa Dias Soares 18,33Sandra Raquel Louro Azevedo 18,3312º AnoMiguel Vieira Marques 18,87Isabel Maria Gonçalves Martins 18,80Joana Sofia Faleiro Oliveira 18,73Vera Lúcia Ferreira Mondim 18,73Ana Patrícia Marcelino Silva 18,67Ana Rita Páscoa dos Santos 18,57Sara Filipa Bordelo Dias 18,40Ana Rita Abreu Fernandes 18,27
Alunas do 7º ano, turma A, representam "O Chá das Tias"

Mais Notícias

    A carregar...