uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Precision a pensar no seu automóvel

Precision a pensar no seu automóvel

João Paulo Cruz, 51 anos, natural de Lisboa, estudou em Moçambique, França, Inglaterra e Portugal, tendo-se formado em engenharia automóvel. Pai de dois filhos, é sócio gerente da Kalculrecord, empresa que em Outubro de 2015 comprou a rede de oficinas Precision bem como os direitos da marca para Portugal, Angola e Moçambique. Na região a Precision está presente em Santarém, Torres Novas e Forte da Casa.

Edição de 14.07.2016 | Economia

Explique-nos o que é a Precision? A Precision existe em Portugal desde 2001. É uma marca que opera uma rede de oficinas com origem nos EUA. Neste momento a Precision está presente em 8 países - Estados Unidos da América, México, Nigéria, Angola, Portugal, Omã, República da Geórgia e Taiwan. Nos anos 70 nos EUA, surgiram uma série de conceitos de reparação automóvel especializados, tais como, pneus, escapes, transmissões, etc, sendo a Precision um especialista de operações de diagnóstico e afinação de motores. À medida que a qualidade dos componentes automóveis foi melhorando, todos nós tivemos que fazer mais do que o original. A nossa vantagem enquanto marca foi que começámos a trabalhar na área mais difícil do automóvel, motores, e partimos para as restantes reparações, sendo esta transição mais fácil de fazer do que o contrário.
Actualmente o conceito da Precision é de uma oficina de bairro moderna.
Porque optou por esta área de trabalho? Nasci dentro do ramo automóvel por causa do meu pai. Cresci dentro de oficinas e stands.
Qual é o balanço que faz da evolução da Precision? É uma empresa que tem tido altos e baixos quer a nível nacional quer a nível internacional. Temos sempre sabido reposicionar-nos e adequar-nos ao momento. Este negócio vive em contraciclo económico.
A Precision tem sabido sempre adaptar-se a estes ciclos, diversificando os serviços e adequando a sua oferta às condições de mercado. Faz parte também da evolução da Precision, o crescimento de outra unidade de negócio que dispomos - franchising. Neste momento, temos 5 centros franchisados e 20 centros próprios. No Ribatejo temos 3 centros, Santarém, Torres Novas e Forte da Casa.
Porquê abrir no Forte da Casa? A Kalculrecord em 2014 andava à procura de espaços para se expandir. Depois de termos o espaço gostámos tanto dele que ficámos aqui com a sede. Esta é uma zona agradável, sossegada, com facilidade de estacionamento e de acesso para as pessoas que vêm das mais diversas zonas da grande Lisboa.
Existe grande diferença do mercado de Lisboa para o mercado do Ribatejo. Como combatem essas diferenças? Nós viemos para aqui também porque já tínhamos muitos clientes desta zona (quer clientes particulares quer de empresas) a recorrer às nossas oficinas de Lisboa e, portanto, o primeiro passo foi um redireccionar dos nossos clientes para aqui.
Projectos futuros? Em primeiro lugar, queremos continuar na nossa aposta de crescimento a nível de rede de oficinas. Quanto à nossa presença no Ribatejo, para já não temos projectada nenhuma abertura nos próximos meses. A abertura da oficina no Forte da Casa, e a deslocação da sede para o mesmo espaço permitiu que este centro, para além de uma oficina, funciona também como centro de formação.
Quais são os serviços que a Precision presta? Tudo dentro da manutenção e reparação automóvel. Desde a simples mudança de óleo ou de travões, a uma reparação completa de motor, passando pela carroçaria e pintura. Este é o posicionamento da Precision. Oficina de bairro, que presta serviços com qualidade e sempre com garantia. Aliás a nossa assinatura é “Todas as marcas. Todos os serviços”.
O que diferencia a Precision da concorrência? A nossa capacidade técnica, a nossa diversidade de serviços, o nosso atendimento e proximidade com os clientes.
Como vê a situação da mecânica em Portugal? A mecânica em Portugal está a aproximar-se a passos largos daquilo que é a situação deste sector no resto da Europa. Quando iniciámos a nossa actividade, o mercado após venda em Portugal não tinha praticamente redes multimarca (excepto um grupo que essencialmente vendia pneus) e estava dividido em 40% concessionários 60% para os independentes enquanto que por exemplo em França ou em Inglaterra essa divisão era de 50% para os concessionários, 40% para as marcas de oficinas multimarca e 10% para os independentes.
Acha que a tendência é que as grandes marcas comecem a investir mais fora das grandes cidades? Claro que sim. O McDonald’s também começou onde havia mercado. Hoje está em todo o lado. Todas as marcas começam onde há mercado e depois quando ganham volume e massa critica projectam-se para outros lados.
Qual o segredo para o sucesso? É simples. Dias de 16 ou 17 horas de trabalho. Ninguém pode pensar que montar uma empresa destas permite passar a tarde a jogar golfe. São muitas horas de trabalho ... de toda a equipa.
Quantas pessoas trabalham na empresa? Seis pessoas. Na rede nacional trabalham 80 pessoas.
Horário de funcionamento? Das 8h00 as 19h00 de segunda a sexta-feira. Algumas oficinas também abrem ao sábado. Não a do Forte da Casa

Precision a pensar no seu automóvel

Mais Notícias

    A carregar...