uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Há mais casas municipais em VFX mas mesmo assim não chegam para a procura

Há mais casas municipais em VFX mas mesmo assim não chegam para a procura

Presidente da Câmara de Vila Franca de Xira garante que 63 casas que hoje estão degradadas vão ser reparadas para serem atribuídas a quem precisa.

Edição de 14.07.2016 | Sociedade

No concelho de Vila Franca de Xira tem aumentado todos os anos o investimento em intervenções de recuperação nas casas municipais, ano após ano, mas mesmo assim a procura continua a ser maior que a oferta. Para tentar fazer face ao problema o presidente do município, Alberto Mesquita (PS), informou na última semana que vão ser feitas obras nas casas que ainda estão degradadas e que têm capacidade para albergar mais famílias.
Do parque habitacional da câmara, composto por 1103 apartamentos, 63 estão devolutos e a precisar de obras. “É verdade que precisamos de mais habitação municipal e dessas 63 casas muitas estão a ser reabilitadas e entregues aos candidatos que ficaram em segundo lugar ou como suplentes no último concurso de entrega de habitações. Isso será resolvido a breve trecho, quando as casas estiverem em condições”, explica o autarca.
Actualmente os regulamentos só permitem que cidadãos residentes no concelho há pelo menos um ano possam candidatar-se a uma habitação municipal. E é preciso cumprir critérios apertados e estar em manifesta situação de pobreza e carência para poder beneficiar da habitação municipal.
O presidente do município falava do tema durante a última assembleia municipal, depois de ter sido confrontado pela bancada do Bloco de Esquerda sobre o assunto. Numa moção apresentada por essa força política, aprovada por unanimidade, é pedido que a câmara “priorize e concretize” a reabilitação dos fogos devolutos que são propriedade da câmara e que nas áreas de reabilitação urbana utilize “estrategicamente o direito de preferência nas transmissões a título oneroso” entre privados para suprir a procura de habitação social, “ora para salvaguardar as características dos conjuntos urbanos quer para repovoar os núcleos urbanos antigos”.
No último ano foram entregues 12 fogos a candidatos efectivos, tendo ficado 288 famílias à espera de vaga. Estima-se que as casas disponíveis, apesar de serem em elevado número, só cubram três quartos da necessidade real sentida no terreno. No último ano a câmara esforçou-se por intervir em 17 por cento do seu parque habitacional e o reforço de verbas em orçamento, destinado a obras de recuperação das casas municipais, tem vindo sempre a aumentar nos últimos anos.
Numa das últimas reuniões de câmara o presidente do município já havia lamentado haver “tanta gente” a precisar de casa, considerando isso “um sintoma” de que a crise ainda não passou verdadeiramente para muitas famílias do concelho. Um dos problemas das habitações municipais é a falta de cuidado de quem lá fica a viver, já que o vandalismo e destruição da propriedade é a principal causa que leva a que as residências não fiquem logo prontas a habitar.

Há mais casas municipais em VFX mas mesmo assim não chegam para a procura

Mais Notícias

    A carregar...