uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Despedimento de ex-directora custa 22500 euros ao CRIA de Abrantes

Despedimento de ex-directora custa 22500 euros ao CRIA de Abrantes

Presidente Nelson Carvalho acorda em tribunal pagar indemnização

Edição de 20.10.2016 | Sociedade

O presidente do Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA) acordou em tribunal pagar 22500 euros à ex-directora técnica da instituição, que foi despedida no final de 2015, pouco tempo após Nelson Carvalho ter assumido a liderança da direcção. O dirigente e ex-presidente da câmara justificou o despedimento com má gestão de Vanda Grácio, que moveu um processo à instituição por despedimento ilícito.
Vanda Grácio começou por pedir 50 mil euros de indemnização, valor que não foi aceite por Nelson Carvalho, que estaria disposto a pagar 12 mil euros com base nos salários que Vanda Grácio não recebeu desde que foi despedida da instituição. O juiz alertou para o facto de que não estavam apenas em causa os ordenados.
A ex-directora avançou então com um valor de 30 mil euros que também não foi aceite pelo ex-autarca, que estaria disposto a pagar 20 mil euros. Depois de alguma negociação chegou-se a um entendimento e ao valor de 22500 euros. Os momentos de maior indecisão viveram-se quando chegou a altura de se saber como seria feita a cessação do contrato para que Vanda Grácio tivesse direito ao subsídio de desemprego.
O juiz encarregue do caso avisou bem, tanto Nelson Carvalho como a sua advogada. “Arranjem uma saída digna para a dona Vanda que não seja nem pelo telhado nem pela janela”. Disse ainda à advogada que se pusesse no papel de advogada do trabalhador, “pense na vida da dona Vanda”.
Questionado porque tinha aceitado o acordo e se havia justa causa para o despedimento, Nelson Carvalho afirmou a O MIRANTE que “o CRIA precisa de estabilidade e não podemos deixar arrastar o caso em tribunais durante anos”. Também Vanda Grácio reconheceu em declarações a O MIRANTE que quer “virar esta página da minha vida que se arrasta há já muito tempo e que tem tido consequências graves na minha saúde”.

Despedimento de ex-directora custa 22500 euros ao CRIA de Abrantes

Mais Notícias

    A carregar...