uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Tribunal de Almeirim passa do pior ao mais moderno em tecnologia
Tribunal de Almeirim já começou a funcionar nas novas instalações

Tribunal de Almeirim passa do pior ao mais moderno em tecnologia

Edição de 16.01.2019 | Sociedade

O Tribunal de Almeirim começou a funcionar nas novas instalações, adaptadas da antiga junta de freguesia, na sexta-feira, 4 de Janeiro, com condições que ficam a anos-luz do que tinha desde início e com tecnologia única no distrito de Santarém. As mudanças dos processos, cerca de mil, ocorreram na quinta-feira, dia 3, e foi feita por presos do Estabelecimento Prisional de Torres Novas e funcionários da câmara, acompanhada por militares da GNR.
A sala de audiências está equipada com um monitor de videoconferência, e um monitor que permite a visualização digital de peças processuais de documentos dos processos. Esta é a grande inovação, já que evita que advogados, arguidos e testemunhas se desloquem à bancada do juiz para verem os documentos.
A tecnologia é única na Comarca de Santarém, que abrange os tribunais de todo o distrito de Santarém, e a ideia é alargá-la a todos os palácios da justiça desta região. O juiz presidente da comarca de Santarém destaca as condições de excelência deste que é o tribunal mais recente, em termos de instalações. “Almeirim estava com umas instalações muito precárias e toda a gente se queixava”, referiu Luís Miguel Caldas, enaltecendo os juízes, magistrados, advogados e funcionários que trabalham em más condições.
Luís Miguel Caldas realça que com melhores condições a justiça tende a ser mais rápida. O presidente da câmara, que disponibilizou a solução, ao comprar as instalações para arrendar ao Ministério da Justiça, admite que se não tivesse havido este empenhamento e não fosse cedido um edifício melhor, o tribunal poderia ter fechado. “É um espaço que é muito funcional e foi pensado para ser um tribunal, ao contrário do que acontecia antes”, sublinhou Pedro Ribeiro.
Neste momento o tribunal tem dois procuradores e um juiz. Chegou a ter dois juízes, um deles auxiliar que esteve a ajudar a recuperar processos pendentes há anos. Neste momento já não é preciso o segundo juízo porque foram reduzidos os atrasos processuais. Recorde-se que o tribunal funcionou, desde que abriu, provisoriamente nas instalações do antigo posto da GNR de Almeirim, que cedo se revelou um espaço exíguo.

Tribunal de Almeirim passa do pior ao mais moderno em tecnologia

Mais Notícias

    A carregar...