uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Lucinda Mina chega aos 101 anos com quarenta descendentes
Lucinda Mina é muito acarinhada pelos filhos e pela comunidade

Lucinda Mina chega aos 101 anos com quarenta descendentes

Centenária que vive com a filha de oitenta anos no concelho de Alcanena ainda vai aos bailaricos. Com 101 anos Lucinda Mina, viúva desde dos 67 anos, tem nove filhos e trinta e um netos e bisnetos. A sopa diária, as caminhadas e a dança são o segredo da sua longevidade e, ao contrário de alguns filhos, não precisa tomar medicamentos.

Edição de 27.03.2019 | Sociedade

Lucinda Mina completou 101 anos de vida, mas desengane-se quem pensa que é uma centenária que passa os dias sentada no sofá a ver televisão. Costuma cantar para alegrar a casa da filha Leonilde, em Filhós, concelho de Alcanena, onde vive actualmente. Ajuda nas tarefas domésticas e vai aos bailes da terra. Talvez seja essa energia que a leva a não precisar de tomar medicamentos. Lucinda, que fez 101 anos no dia 13 de Março, tem 40 descendentes: nove filhos, dezoito netos e treze bisnetos. Duas das bisnetas foram notícia recentemente por serem jogadoras de andebol do Benfica e terem ganho a competição internacional Torneio das Descobertas Handball Meeting.
Qual é o segredo de tal longevidade? Lucinda diz que é comer muita sopa, fazer umas caminhadas e dançar. Quando vai aos bailes o seu par habitual é o filho Aníbal, de 57 anos de idade. E o par dá nas vistas porque, diz a idosa, “ele é um pé de dança”, ri-se. A centenária conta, em conversa com O MIRANTE, que passou por vários bons momentos ao longo da sua vida, mas os mais felizes são, sem dúvida, os que passou nos bailaricos, primeiro no Malhou, concelho de Alcanena e, mais tarde, em Filhós. Quando era nova, recorda, tinha tanta energia que passava horas a dançar. Quando lhe chegava a fome ia a casa ordenhar a cabra que tinha no quintal, bebia um copo de leite acabado de tirar e voltava para o baile. “Era sempre uma animação”, admitiu a O MIRANTE.
Lucinda Mina nasceu a 13 de Março de 1918, em Malhou. De sorriso fácil e bastante faladora, era bastante cobiçada na terra. Numa apanha da azeitona conheceu o marido e apaixonou-se logo. Casou-se depois de já terem nascido dois dos seus filhos. Foi uma mulher de trabalho, com uma vida dura na agricultura, onde trabalhou até o seu corpo não poder mais. Enviuvou aos 67 anos. Durante o tempo de matrimónio levou muitas tareias do marido mas, conta, não foi isso que a impediu de tentar ser feliz.
A centenária reside com a sua filha mais velha, Leonilde Pereira, de 80 anos, que está mais afectada na capacidade de locomoção que a sua mãe. Lucinda gosta de conversar todas as tardes com os vizinhos, mostrando uma lucidez impressionante. Não pensa na morte e diz que não tem medo que ela chegue. Até que esse dia chegue, realça, o melhor que tem é aproveitar o melhor dos dias.

Lucinda Mina chega aos 101 anos com quarenta descendentes

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido