uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Morreu António Cláudio, o homem da cultura e história de Almeirim
António Cláudio morreu aos 91 anos

Morreu António Cláudio, o homem da cultura e história de Almeirim

António Cláudio foi fundador do Rancho Folclórico de Almeirim e antigo vereador da câmara. Começou a trabalhar aos 12 anos numa serração e já com 42 anos, com filhos e cabelos brancos, foi tirar o curso de História. Era um homem que amava a sua terra e deixou escrita a história local.

Edição de 27.03.2019 | Sociedade

O fundador do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Almeirim, António Cláudio, faleceu no domingo, 17 de Março, com 91 anos de idade. O funeral realizou-se no dia seguinte de manhã no cemitério de Almeirim, acompanhado por muitos amigos. António Cláudio foi um defensor das tradições e historiador local. Era um homem que vivia intensamente a sua terra. António Cláudio foi vereador da Cultura na Câmara de Almeirim, entre 1976 e 1992, e director da biblioteca municipal. Homem da cultura, dedicou-se ao longo da vida ao estudo da história local. Em 2012 foi homenageado pelo trabalho que fez em prol do grupo de folclore que nesse ano comemorava 56 anos de existência.
António Cláudio era licenciado em História, curso que começou a tirar com 42 anos. Numa entrevista que deu em 2006 a
O MIRANTE, disse que tinha tirado o curso por desejo de se valorizar e saber mais. Na altura já era casado, tinha filhos e era o único da turma já com cabelos brancos. Aos 78 anos dizia que quando passava à porta da faculdade sentia saudades de estudar.
António cláudio Construiu uma vida a pulso. Quando aos 12 anos entrou para aprendiz numa serração de madeiras, levantava-se às duas da manhã para ir limpar as máquinas que começavam a trabalhar às sete e depois continuava a fazer tudo o que era preciso ao longo do dia. Depois andou na construção civil, trabalhou numa livraria e numa empresa de portões. Foi funcionário no Cartório Notarial e foi oficial de diligências da repartição de Finanças, até entrar para a Câmara de Almeirim, onde foi dos primeiros funcionários do serviço de águas.
Apesar de ter sido vereador da Câmara de Almeirim nunca foi militante de qualquer partido, porque dizia que não acreditava em partidos nem se sentia bem a andar em comícios. Durante os 16 anos em que foi autarca, uma das marcas foi ter lançado um boletim informativo onde deixou escrita a história do concelho.

Morreu António Cláudio, o homem da cultura e história de Almeirim

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido