uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Engenheiro de Montalvo assassinado em Angola queria regressar este ano
foto DR Pedro Gonçalves estava em Angola há dez anos

Engenheiro de Montalvo assassinado em Angola queria regressar este ano

Pedro Gonçalves foi baleado em Luanda na sequência de um assalto. O engenheiro estava há dez anos em Angola. É o quarto cidadão português assassinado desde Fevereiro deste ano naquele país e o terceiro no mês de Abril.

Edição de 08.05.2019 | Sociedade

O funeral de Pedro Gonçalves, o português de 41 anos natural de Montalvo, concelho de Constância, que foi assassinado a tiro na noite de terça-feira, 23 de Abril, em Luanda, realizou-se na sua terra natal, sete dias depois do crime. O funeral decorreu na terça-feira, 30 de Abril, logo após o corpo ter sido trasladado para Portugal.
Pedro Gonçalves, também conhecido por Saraiva, apareceu morto dentro da sua viatura num arruamento em Belas, Luanda Sul. A vítima foi baleada com dois tiros na sequência de um assalto perpetrado, alegadamente, por duas pessoas que se o seguiam numa moto. É o quarto cidadão português assassinado desde Fevereiro deste ano em Angola e o terceiro no mês em curso.
O engenheiro civil trabalhava em Angola há dez anos e tinha intenção de regressar de vez a Portugal no próximo mês de Dezembro, segundo fonte familiar. Era casado e tinha uma filha com 13 meses, um filho com oito anos e um enteado perfilhado com 18 anos.
O director financeiro da empresa Rojual - Gestão de Projectos, onde Pedro Gonçalves trabalhava, mostrou-se chocado com a situação e confirmou o assalto seguido de assassínio. Rui Vareta Machado disse desconhecer mais pormenores, uma vez que estava a aguardar por um relatório da Polícia Nacional angolana, que está a investigar o incidente.

Engenheiro de Montalvo assassinado em Angola queria regressar este ano

Mais Notícias

    A carregar...