uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Marcha lenta exige obras de fundo no IC2 em Rio Maior
Há vários anos que o IC2 precisa de obras de manutenção no troço entre a Benedita e Aveiras de Cima

Marcha lenta exige obras de fundo no IC2 em Rio Maior

Protesto de utilizadores da via vai decorrer na manhã de 12 de Julho entre a Benedita e Aveiras de Cima. Mau estado do troço entre Asseiceira e Alto da Serra é falado há muitos anos.

Edição de 17.07.2019 | Sociedade

Um movimento de cidadãos convocou uma marcha lenta para esta sexta-feira, 12 de Julho, entre a Benedita (Alcobaça) e Aveiras de Cima (Azambuja) em protesto pelo mau estado do IC2 entre os nós de Alto da Serra e de Asseiceira, no concelho de Rio Maior. O início da caravana está marcado para as 07h00 junto ao restaurante o Bigodes, na Benedita, voltando ao ponto de partida igualmente em marcha lenta. Às 09h00 dessa sexta-feira parte uma segunda caravana com o mesmo trajecto.
O troço do IC2 entre Asseiceira e Alto da Serra, com uma extensão de 12 km, tem o piso em cimento bastante degradado e é uma zona de acidentes frequentes, sendo há muito reclamada uma intervenção de fundo, tanto por autarcas como por utilizadores. Na Internet está também a circular uma petição pública com o mesmo fim onde se apela “que os governantes tomem consciência do estado caótico a que esse troço chegou e iniciem de imediato a reconstrução do mesmo”.
No texto da petição refere-se que o pavimento há muito que não é objecto de qualquer manutenção estrutural ou cuidados aprofundados de recuperação e sofre de um rápido processo de deterioração, estando cada vez mais danificado. “Existe um conjunto de pontos negros neste troço que são impróprios para uma circulação em segurança e que causam sérios danos nas viaturas que por ali circulam, causando problemas e despesas avultadas de manutenção e reparação a todos quantos usam esta estrada diária ou semanalmente”, dizem os autores da petição.
A organização da marcha lenta sublinha que tem carácter apartidário e que não vai permitir aproveitamentos de nenhuma força política em torno dessa iniciativa. Refere ainda que não é permitido o corte da estrada em nenhuma circunstância, pois o objectivo é a segurança de todos e não a desordem. “Vamos honrar, lembrar e homenagear todos quantos perderam a vida neste troço, assim como todos os que ficaram marcados em acidentes para toda a vida”, concluem.
O IC2 (antiga Nacional 1) é uma via alternativa à rede de auto-estradas que liga Lisboa e o Porto e tem grande movimento de tráfego, nomeadamente de veículos pesados.

Marcha lenta exige obras de fundo no IC2 em Rio Maior

Mais Notícias

    A carregar...