uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
O maior projecto para valorizar pegadas de dinossáurios da Serra de Aire
Maria de Jesus Fernandes e Galopim de Carvalho na apresentação do novo projecto para valorizar as pegadas da antiga pedreira do Galinha

O maior projecto para valorizar pegadas de dinossáurios da Serra de Aire

Desde que foi descoberto há 25 anos que o espaço não tinha projectado um investimento tão grande. São 450 mil euros para melhorar a preservação das pegadas e as condições de visita.

Edição de 17.07.2019 | Sociedade

Um projecto de 450 mil euros candidatado a fundos comunitários, não só representa o maior investimento para o monumento das pegadas de dinossáurios da Serra de Aire desde que existe há 25 anos, como será a derradeira oportunidade para valorizar e potenciar o espaço. Desde que as pegadas foram descobertas há 25 anos na antiga pedreira do Galinha que só tinha sido feita uma pequena intervenção de requalificação há cerca de dez anos.
A directora do Departamento de Conservação da Natureza e Florestas de Lisboa e Vale do Tejo, do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, considera que esta é uma grande oportunidade de dar uma nova dinâmica ao espaço que comemora um quarto de século. Maria de Jesus Fernandes reconhece que o monumento esteve praticamente ao abandono no período de crise, em que não foi feita manutenção do espaço, nem sequer para reparar vedações. Além de não haver dinheiro também existia uma grande indefinição quanto ao futuro do espaço e isso reflectiu-se no número de visitantes que baixou bastante, tendo voltado a subir para uma média de 16 mil pessoas por ano.
Maria de Jesus Fernandes espera que até final do ano se possa começar a implementar o projecto, que numa primeira fase contempla a geopreservação, com limpezas, melhoria da drenagem de águas e criação de pequenos taludes. Numa segunda fase o projecto incide sobre o sistema de visitação, melhorando as salas de recepção, loja e de acolhimento de visitantes, contemplando ainda o levantamento dos achados em 3D. Um dos trabalhos é também o da realização de um novo filme mais atractivo que possa ser mostrado aos visitantes e utilizado na promoção do monumento, já que o existente tem duas décadas.
Este projecto insere-se numa candidatura de um total de 800 mil euros, apresentada ao POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, pelo Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, que está a comemorar 40 anos de criação. Na apresentação do projecto para as pegadas, na quinta-feira, 4 de Julho, esteve o professor Galopim de Carvalho, que desde a primeira hora acompanhou e trabalhou para a protecção das pegadas, que se inserem na área do parque.

O maior projecto para valorizar pegadas de dinossáurios da Serra de Aire

Mais Notícias

    A carregar...