uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Socialistas e comunistas às turras em Alverca
Carlos Gonçalves, ao centro, presidente da União de Freguesias de Alverca do Ribatejo e Sobralinho

Socialistas e comunistas às turras em Alverca

PS afirma que junta de freguesia transforma eventos em comícios da CDU. O líder do executivo diz tratar-se de um ataque completamente falacioso.

Edição de 15.10.2019 | Politica

O líder da bancada do PS na Assembleia de Freguesia de Alverca do Ribatejo e Sobralinho, José Chumbo, disse na última sessão que o executivo da junta de freguesia, liderado pelo comunista Carlos Gonçalves, transforma os eventos que organiza em comícios da CDU.
Em causa está a última edição da Feira de Arroz Doce e Artesanato, realizada em Setembro, em que nenhum eleito de outra força política, além da CDU, foi convidado pelo executivo para comparecer ao evento. José Chumbo não se conteve dizendo que estar à frente da maior cidade do concelho é, de facto, uma “montra para qualquer força política”, dando a entender que Carlos Gonçalves se estaria a aproveitar disso para promover o seu partido. Algo que não traz dignidade nenhuma, criticou.
Carlos Gonçalves reagiu às declarações do eleito do PS, afirmando peremptoriamente que é claramente falacioso fazer tal acusação. O presidente de junta aproveitou a ocasião para explicar que a pessoa encarregue de enviar os convites aos eleitos da assembleia de freguesia e autarcas da Câmara de Vila Franca de Xira se esqueceu de o fazer. “Estava convencido que todos [os convites] tinham sido enviados, mas estranhei não estar [no evento] nenhum representante da câmara municipal”, justificou o autarca e pediu desculpa a todos os eleitos.
José Chumbo insistiu nas críticas, lamentando ainda a atitude do autarca da CDU na sessão solene que celebrou os 29 anos da elevação de Alverca a cidade, em Julho último. Chumbo diz que num evento solene Carlos Gonçalves resolveu, no seu discurso, enveredar por uma “guerrilha política com o presidente da câmara”, Alberto Mesquita (PS).
Nesse discurso, recorde-se, Carlos Gonçalves disse que a câmara municipal se esqueceu de Alverca, enumerando várias situações que tardam em resolver-se, como a falta de estacionamento, passeios por requalificar, parques infantis e o imbróglio com o velho cemitério da cidade que está ao abandono e com corpos por trasladar.
Em resposta, o presidente de junta reiterou aquilo que já tinha afirmado, dizendo que há muitas carências em Alverca que precisam de resposta e que a “população exige ao executivo e ao seu presidente que tome um posicionamento”. E, acrescentou, se o Dia da Cidade é para a enaltecer é também preciso advertir para aquilo que Alverca precisa, negando tratar-se de um aproveitamento político, mas de dizer as palavras certas no momento certo, quando não há outro espaço para o fazer.

Socialistas e comunistas às turras em Alverca

Mais Notícias

    A carregar...