uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Pedido não correu como esperado mas o casamento já tem data marcada
João Costa e Inês Pedro namoram há dez anos e vão casar no próximo dia 26 de Setembro

Pedido não correu como esperado mas o casamento já tem data marcada

Noivos optaram por um casamento católico por uma questão de tradição

Edição de 19.02.2020 | Sociedade

Namoram há dez anos e decidiram assinalar a data com o casamento que vai acontecer a 26 de Setembro. Inês Pedro, 26 anos, sempre teve o sonho de casar. Para João Costa, 29 anos, o casamento nunca foi uma prioridade mas aceitou casar para concretizar o sonho da sua noiva.
Durante o fim-de-semana em que João decidiu pedir Inês em casamento tudo correu mal. O jovem, natural de Tremez, concelho de Santarém, tinha tudo planeado ao pormenor com quatro meses de antecedência. O plano começou a correr mal quando o papel com o esquema das surpresas ficou esquecido em cima da secretária no trabalho.
Foram passar o fim-de-semana a Reguengos de Monsaraz, no Alentejo, e a sucessão de desaires foi grande. A viagem de balão de ar quente, onde João iria pedir Inês em casamento, foi cancelada devido às más condições atmosféricas. A visita ao Observatório das Estrelas também foi cancelada pelo mesmo motivo. O SPA para descontraírem estava reservado para os convidados de um casamento.
Acabou por ser nas muralhas do castelo de Monsaraz, depois de uma conversa sobre os dez anos de namoro, que João puxou do anel e pediu a sua amada em casamento. “Tudo o que ele tinha planeado correu mal e até me colocou o anel no dedo errado, mas o pedido foi muito bonito”, recorda Inês, soltando gargalhadas.
Decidiram casar pela igreja apesar de não serem católicos praticantes. “Queremos dar continuidade à tradição das nossas famílias. Para mim faz sentido ter filhos depois de casar. Um papel não vai mudar nada entre nós mas quisemos dar esse passo. É mais uma questão de maturidade na nossa relação do que outra coisa”, explicam.
Pretendem ter filhos mas não para já. Pensaram em casar na Nazaré, uma vez que a sua história de amor está relacionada com essa praia, mas como não conseguiram o espaço que pretendiam optaram por uma quinta em Santarém. Vão casar na capela da quinta para ser tudo mais prático e não ter que haver deslocações.
A união será celebrada apenas com as pessoas mais próximas e não sentem a obrigação de convidar toda a família. “Convidamos apenas quem faz mais sentido convidar e é importante para nós”, diz Inês Pedro.
Garantem não estar nervosos e já têm quase tudo organizado. Falta comprar o vestido de noiva mas já está praticamente escolhido. João vai comprar o seu fato em breve mas não está muito preocupado com isso. “Quando estivermos mais próximos da data talvez fiquemos um bocadinho ansiosos mas estamos tranquilos”, sublinha.
Alguns pormenores como as despedidas de solteiros ou o local da lua-de-mel ainda estão por afinar. O que já começou foi o curso de preparação para o casamento, obrigatório para quem opta por um casamento católico. Confessam que se fosse voluntário não iriam mas já estiveram na primeira sessão e acharam bastante útil. “São casais que dão esse curso e dão-nos dicas importantes de situações que acontecem em todos os casamentos, numa vida a dois, e que podemos não estar preparados”, explicam, lamentando apenas que dure um dia inteiro e seja ao fim-de-semana.

Pedido não correu como esperado mas o casamento já tem data marcada

Mais Notícias

    A carregar...