uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Polícias podem ser solução para vigiar passagem de nível em VFX
Município continua a tentar articular com a Infraestruturas de Portugal a criação de medidas temporárias que aumentem a segurança da passagem de nível do cais

Polícias podem ser solução para vigiar passagem de nível em VFX

Presidente da câmara pede aos cidadãos respeito pelas normas de segurança e diz que a solução temporária para aumentar a segurança na zona pode passar pela PSP ou por funcionários do município.

Edição de 19.02.2020 | Sociedade

Por falta de guardas de passagens de nível o recurso a funcionários do município ou a agentes gratificados da Polícia de Segurança Pública (PSP) na passagem de nível junto ao cais de Vila Franca de Xira pode ser uma solução temporária para dar mais segurança ao local.
A ideia foi defendida na última semana pelo presidente do município, Alberto Mesquita (PS), na sequência de mais um atropelamento ferroviário naquela passagem que vitimou um homem de 53 anos. Foi a 29ª pessoa a morrer naquele local em 13 anos.
“Já apresentámos uma proposta à Infraestruturas de Portugal que terá de vir a reunião de câmara se eles aceitarem, ou seja, uma solução que substitua os guardas de linha nas horas de maior movimento. Passa pela PSP. Espero que depois de mais este acidente seja criada uma solução que aumente a segurança daquele local”, anunciou o autarca.
Alberto Mesquita, que respondia ao vereador Nuno Libório (CDU), afirmou que acidentes mortais sempre haverá, devido à própria configuração da passagem. “Aquela passagem de nível, pela mortalidade que já causou, exige uma tomada de posição firme que temos reclamado”, refere.
Em estudo pela Infraestruturas de Portugal está a relocalização da passagem de nível 250 metros para sul, para zona próxima da praça de touros da cidade, como já foi noticiado. Essa operação, sabe-se agora, vai ter de ser paga pelos cofres da câmara. “Em teoria não tínhamos de pagar mas, na prática, se a câmara não fizer uma parceria com a IP isto nunca mais se resolve. Se o Estado não trata do problema e a população necessita dessa solução então temos de a assumir e resolver”, defendeu.
O acidente de 3 de Fevereiro aconteceu pelas 14h30 quando um homem desrespeitou as cancelas de segurança e atravessou-se à frente do comboio. O elevado número de vidas perdidas naquela passagem tem motivado queixas de autarcas e população mas tarda em surgir uma alternativa segura para que os peões a possam atravessar. Já foi também promovido um abaixo-assinado da comunidade.

Polícias podem ser solução para vigiar passagem de nível em VFX

Mais Notícias

    A carregar...