uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
A arte ao serviço da inclusão social
O jovem João Maria Ferreira é um dos orientadores das oficinas artísticas

A arte ao serviço da inclusão social

Psiquiatria do Hospital de Santarém lança terceira edição do Incluir. Projecto inclui pessoas com doença mental, pessoas em risco de exclusão social e elementos da comunidade com vontade de aprender pintura e de participarem em actividades em espaços públicos da cidade.

Edição de 24.10.2018 | Sociedade

O departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital Distrital de Santarém apresentou a terceira edição do projecto “INcluir”, que disponibiliza, até ao final do ano, duas oficinas artísticas inclusivas. As oficinas, de pintura a óleo e a aguarela, estão a funcionar, a primeira desde Setembro e a segunda desde o início de Outubro, na Incubadora d’Artes de Santarém, onde decorreu a apresentação, sob orientação dos artistas plásticos João Maria Ferreira e Ana Xavier, respectivamente.
Carla Ferreira, enfermeira da equipa coordenadora do projecto, disse que o “INcluir”, que na sua primeira edição (2016/2017) foi financiado pela Fundação EDP, tem continuidade garantida graças ao apoio recebido da associação Asas pela Vida, com o valor angariado na Festa Azul deste ano, e às receitas que tem conseguido gerar, tanto pela venda do livro de banda desenhada que narra a história dos primeiros participantes, como de obras de arte.
“A exposição que realizámos a semana passada no átrio do hospital teve grande sucesso. Muitas obras foram adquiridas”, o que permite financiar o material necessário ao funcionamento das oficinas, disse. Carla Ferreira realçou a importância da manutenção de um projecto que revela já impactos positivos na vida dos participantes, muitos dos quais iniciaram cursos de formação profissional.

Reduzir o estigma associado à doença mental
O facto de os grupos incluírem pessoas com doença mental, pessoas em risco de exclusão social e elementos da comunidade com vontade de aprender pintura, e de participarem em actividades em espaços públicos da cidade, tem servido para reduzir o estigma associado à doença mental, comprovado num estudo realizado na primeira edição do projecto, e, ao mesmo tempo, para reforçarem a autoestima e desenvolverem ferramentas de socialização.
Na primeira edição do projecto participaram 30 pessoas, na segunda 15 e na que está em curso 25 (15 na oficina de óleo, que se realiza uma vez por semana, e 10 na de aguarela, duas vezes por semana).
O Hospital de Santarém mantém as parcerias com a Câmara de Santarém, que cede os espaços, com a Santa Casa da Misericórdia, que sinaliza as pessoas em risco de exclusão que integram o projecto, e com as escolas superiores de Saúde e de Gestão do Politécnico de Santarém, que realizaram o estudo e que se preparam para publicar artigos a partir dos resultados obtidos.
O estudo teve por base 420 inquéritos realizados em Outubro de 2016, antes do início do projecto, e 420 feitos um ano depois, após iniciativas na comunidade realizadas com grupos inclusivos dinamizados pelo artista plástico João Maria Ferreira.

Novos projectos na forja

O departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do HDS está a preparar candidaturas para outros projectos, um ao BPI Solidário, para a criação de uma oficina para reciclagem de móveis, e o outro, “uma mega candidatura”, para alargar o “INcluir” à zona de influência do HDS. O primeiro projecto do departamento, uma loja social a funcionar no bairro de S. Domingos, continua igualmente em funcionamento.

A arte ao serviço da inclusão social

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido

    Destaques