uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Arrancadas árvores que causavam problemas em Castanheira do Ribatejo

Moradores queixavam-se de ramos nas varandas e nas janelas.

Edição de 23.10.2019 | Sociedade

Foram arrancadas pela Câmara de Vila Franca de Xira algumas árvores na urbanização São José do Marco, em Castanheira do Ribatejo, por representarem riscos para a segurança dos moradores e integridade estrutural dos edifícios envolventes. A operação não foi vista com agrado por alguns moradores e na última reunião pública de câmara os vereadores da CDU também levantaram a questão.
Em causa estavam, segundo o presidente do município, Alberto Mesquita (PS), árvores plantadas há décadas em locais que não eram adequados nem apropriados e que actualmente representavam incómodos para vários moradores. “Colocou-se em tempos árvores que não eram adequadas para aquele local, muito próximas dos prédios. Agora as copas já iam ao nível dos quartos andares, a incomodar as pessoas, a entrar pelas varandas e janelas e a danificar o piso e as canalizações dos prédios”, explicou, garantindo que por cada abate de árvores fica definido novo local de plantação de espécies que as substituam.
Alberto Mesquita diz compreender as queixas de alguns moradores mas refere que no passado o município não estava desperto para o problema que certas árvores poderiam causar e fala em falta de planeamento. “Temos de ter cuidado com o planeamento arbóreo das nossas cidades porque pode comprometer o futuro. Um exemplo disso foram os choupos e plátanos que plantaram nas escolas e que hoje sabemos a dificuldade que isso tem causado a alunos e professores, com reclamações de alergias e canalizações partidas. Hoje temos um conhecimento científico muito maior e obrigação de fazer melhor”, defende.

Mais Notícias

    A carregar...