uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Menino de Marinhais com tumor numa perna tem tratamento pago
foto DR Família Leal enfrenta a doença pela segunda vez

Menino de Marinhais com tumor numa perna tem tratamento pago

Pais da bebé Matilde quiseram ajudar e pagaram o resto do tratamento de Tomás Leal. Há três anos uma irmã do menino foi diagnosticada com doença igual. Pais continuam a angariar dinheiro para as despesas extra e há mais iniciativas solidárias agendadas.

Edição de 23.10.2019 | Sociedade

Os tratamentos do menino de Marinhais, concelho de Salvaterra de Magos, que sofre de um tumor ósseo maligno que se encontra alojado numa tíbia foram totalmente pagos. A notícia foi dada pelo pai de Tomás, José Leal, no sábado, 12 de Outubro, nas redes sociais.
José Leal adianta que foi com surpresa que recebeu um telefonema da mãe de Matilde, bebé que sofre da forma mais grave de atrofia muscular espinhal e que mobilizou o país com uma campanha solidária, que angariou mais de dois milhões de euros. Os pais de Matilde contactaram a clínica de Pamplona, em Espanha, onde Tomás Leal, de cinco anos, está a ser tratado, e acordaram a liquidação do montante em falta.
Apesar do tratamento estar pago o pai do menino de Marinhais recorda que as despesas não terminam aqui. “Continua a haver deslocações, estadias, próteses, calçado específico que resultam em despesas dificilmente comportáveis. Temos ainda a cirurgia que o Tomás terá de se sujeitar daqui a uns anos para corrigir o crescimento do osso”, adiantou José Leal.

Irmã sofreu da mesma doença
O caso de Tomás Leal não é único na família. Há três anos a sua irmã, Marta Leal, na altura com seis anos, foi diagnosticada com a mesma doença e correu o risco de ver uma das pernas amputada. A família decidiu procurar alternativas de tratamento em clínicas em Itália e na Alemanha até descobrirem a clínica Navarra, em Pamplona (Espanha).
Foram a uma consulta e a família começou logo a arranjar dinheiro para conseguir pagar os tratamentos de Marta, com um custo de 90 mil euros. Entre alguns empréstimos da família e vários contributos de colegas de trabalho, amigos e desconhecidos a menina acabou por fazer os tratamentos e receber a boa notícia de que o tumor alojado no fémur tinha desaparecido.
Três anos depois a família volta a passar pelo mesmo tormento. Foi em Maio que Tomás começou a ter os primeiros sintomas. O diagnóstico foi confirmado no final de Setembro. A família iniciou, entretanto, uma campanha de angariação de dinheiro para pagar os tratamentos de quimioterapia do menino na mesma clínica espanhola.

Comunidade solidária
Desde que o caso foi divulgado nas redes sociais, várias pessoas, estabelecimentos comerciais e associações abraçaram a causa e têm sido realizadas inúmeras actividades solidárias, em que as receitas revertem a favor de Tomás Leal. Para dia 19 de Outubro está marcado um arraial solidário, no Pavilhão da Comissão de Festas de Marinhais, com início pelas 13h00.
A 26 de Outubro há um almoço motard solidário, em Marinhais. Ainda no dia 26 realiza-se um concerto, pelas 21h30, no Mercado da Cultura de Marinhais, com o coro misto FazCorus, de Fazendas de Almeirim, com donativo livre. No dia 27 de Outubro realiza-se uma caminhada solidária na mesma vila. Os dados do IBAN da conta solidária estão disponíveis na página do Facebook ‘Vamos ajudar o Tomás Leal’. O valor recebido tem estado a ser actualizado.

Três sessões de quimioterapia e a uma cirurgia

Na semana passada Tomás Leal realizou na clínica de Pamplona a primeira sessão de quimioterapia intra-arterial e colocou o cateter permanente. A O MIRANTE,
através de contacto telefónico, o pai do menino adianta que, apesar de Tomás ter ficado abalado com o tratamento, correu tudo dentro da normalidade.
Para já, a criança vai ser submetida a três sessões de quimioterapia e a uma cirurgia para remoção do tumor. Só depois se saberá quantas sessões mais terá o menino de suportar. Entretanto, mais tarde, por volta dos 14-15 anos, Tomás vai ter de voltar à sala de operações, dessa vez para se submeter a uma cirurgia para corrigir os problemas de crescimento do osso.

Menino de Marinhais com tumor numa perna tem tratamento pago

Mais Notícias

    A carregar...