Sociedade | 24-04-2024 17:34

Vídeo confirma dúvidas sobre legalidade dos negócios entre Câmara da Chamusca e presidente da assembleia municipal

O MIRANTE descobriu uma entrevista do presidente da Assembleia Municipal da Chamusca, Joaquim José Garrido, em que admite ter criado a Zaina Editores, empresa actualmente nas mãos dos seus filhos, a quem a Câmara da Chamusca adjudicou livros por mais de 50 mil euros e que levou a Polícia Judiciária (PJ) ao município e a casa dos autarcas.

O presidente da Assembleia Municipal da Chamusca, Joaquim José Garrido (PS), deu uma entrevista ao site “Noticias de Cá” em que admite ter criado a Zaina Editores, uma empresa actualmente nas mãos dos seus filhos, que tem feito negócios de dezenas de milhares de euros com a câmara municipal. Na conversa publicada no site, em 2020, cujo responsável era o ex-vereador da CDU, Francisco Matias, que faleceu em 2023, Joaquim José Garrido explica como funcionam as Edições Cosmos, referindo que “têm a sede no concelho da Chamusca desde 2001 (…) e que ao virem para a Chamusca criaram também a Zaina Editores (…) Ter em mãos as Edições Cosmos é uma responsabilidade muito grande. Há pouco estava a dizer que criámos de propósito a Zaina Editores porque nas Edições Cosmos é obrigatório manter actualidade e a qualidade dos seus originais”, diz num vídeo que pode ser ouvido na edição online de O MIRANTE dentro desta notícia ou no site do autor em www.https://noticiasdecaconcelhochamusca.wordpress.com.
Recorde-se que presidente do município, Paulo Queimado e presidente da assembleia municipal, Joaquim José Garrido, foram constituídos arguidos, em Maio do ano passado, num negócio que envolve a edição de dois livros, um deles por um valor superior a 50 mil euros, cujos exemplares terão sido impressos na gráfica do presidente da Assembleia Municipal da Chamusca. A edição do livro “Carta Arqueológica do Concelho da Chamusca” e “100 anos, 100 poemas”, de Maria Manuel Cid, levou a Polícia Judiciária aos Paços do Concelho para consultar o processo referente à edição que a câmara adjudicou a uma empresa dos filhos do presidente da assembleia, que por sua vez entregaram a paginação, impressão e acabamentos à empresa do pai, a Garrido Artes Gráficas. Os inspectores também fizeram buscas na habitação de família dos autarcas.
A Carta Arqueológica do Concelho da Chamusca é um livro paginado de forma surreal, fazendo valer o volume do livro mais que a qualidade da paginação e da impressão do livro. A segunda edição foi adjudicada exactamente pelo mesmo preço da primeira, o que não é compreensível a não ser que os autores do negocio tenham combinado uma estratégia que não é normal nem aparentemente tem muito sentido.
Segundo O MIRANTE apurou na altura (ver notícia relacionada também em omirante.pt) os inspectores levaram consigo o processo da “Carta Arqueológica” e um outro relacionado com a edição de “100 anos, 100 poemas” uma antologia de poesia de Maria Manuel Cid. Neste caso, a antologia foi editada pela Edições Cosmos, uma editora que pertence a Joaquim José Garrido e que é marca registada da Zaina Portugal.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo