uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
CTT falha na entrega de correspondência e deixa casal sem reforma
Jaime Pereira reclama que os CTT não entregaram a carta com formulário para fazer prova de vida

CTT falha na entrega de correspondência e deixa casal sem reforma

Moradores em Castanheira do Ribatejo dizem que os enganos dos carteiros são recorrentes, mas os Correios garantem que o serviço foi melhorado e que as reclamações são residuais.

Edição de 20.02.2019 | Sociedade

Jaime Pereira repudia os enganos na entrega de correspondência em Castanheira do Ribatejo por parte dos Correios de Portugal (CTT) e os recorrentes atrasos na sua distribuição, que o deixaram a si e à sua esposa sem receber a pensão de reforma do Luxemburgo há mais de dois meses.
Segundo o reformado e ex-emigrante no Luxemburgo, agora residente em Castanheira do Ribatejo, a carta com o formulário da prova de vida que anualmente recebe e tem que reenviar devidamente preenchido e certificado pela junta de freguesia, para continuar a receber a sua reforma, “nunca chegou à caixa do correio”. “Enviaram-me uma notificação a dizer que ia ficar sem a pensão porque a carta lhes foi devolvida sem estar preenchida”, diz a O MIRANTE, frisando que o envelope estava carimbado pelos serviços dos CTT de Castanheira do Ribatejo. A mesma situação aconteceu com a sua esposa.
Indignado com a falha na entrega de correspondência que diz ser “problema recorrente” naquela freguesia, fez reclamação por escrito no posto dos CTT. “É uma situação gravíssima. Tenho contas para pagar e por culpa dos CTT eu e a minha mulher estamos nesta situação”, diz Jaime Pereira depois de afirmar que “praticamente todas as semanas” aparece na sua caixa do correio correspondência que não lhe pertence. “Dirijo-me aos correios e entrego as cartas em mão, mas dali a uns dias volta a acontecer”, garante.
Contactada por O MIRANTE, a administração dos CTT refere que no último trimestre de 2018 procederam a uma “série de contratações que permitiram ultrapassar as perturbações pontuais existentes”, em Castanheira do Ribatejo, reconhecendo que “há sempre espaço para melhoria”.
Em Janeiro de 2019, “as reclamações recebidas pelos CTT são residuais em relação ao volume total de correspondência entregue”, informam, acrescentando que nessa localidade do concelho de Vila Franca de Xira, “a distribuição de correio pelos CTT [voltou a ser] feita diariamente”.
O presidente da junta da União de Freguesias de Castanheira do Ribatejo e Cachoeiras, Luís Almeida (CDU), considera que o serviço prestado pela empresa “tem melhorado nos últimos meses”, com “mais carteiros pelas ruas a fazer distribuição diária”, como há muito já não acontecia. Tal como O MIRANTE noticiou em Maio de 2018, o autarca chegou a reunir com a administração dos CTT dando nota dos atrasos e enganos na entrega de correspondência.

CTT investe 40 milhões de euros

Desde 2014, ano da privatização dos CTT têm ocorrido manifestações contra o sucessivo encerramento de postos dos correios em localidades da região ribatejana. No sentido de melhorar a “prestação do serviço aos clientes” e assegurar a “sustentabilidade do serviço público de correios”, os CTT puseram em prática um “Plano de Modernização e Investimento que prevê um investimento de 40 milhões de euros na rede postal e logística nos próximos dois anos”. A O MIRANTE, os CTT referem que “a nova vaga de mecanização dos centros, a reorganização da rede de distribuição e o uso de ferramentas avançadas para gestão dos giros dos carteiros irão permitir melhorar a eficiência e eficácia da rede postal”.

CTT falha na entrega de correspondência e deixa casal sem reforma

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido

    Destaques